viagra generic

Trairão da Amazônia

A pesca do Trairão é o grande diferencial do Rio Suiá Miçú. Trata-se de um peixe que pode chegar a 20kgs e 1 metro de comprimento, mas seu peso mais frequente é de 3 a 8kgs. Tem hábitos diurnos e noturnos e é encontrado nas margens de rios e lagos com águas rasas de densa vegetação e galhos, sendo que, a noite, a ação é mais efetiva por não ter concorrência de outros predadores de habito noturno. Suas principais características são a surpresa de ataque, a pegada violenta, a corrida rápida e os saltos são espetaculares. Atacam todas as presas que se movimentam em seu território e ao ser fisgado, exige cuidado para não entocar e quebrar as linhas. Pode ser pescado com iscas de superfície, meia água ou iscas naturais no fundo do rio.

Muitas vezes pescado no visual, necessitando uma boa pontaria do pescador. Assim que a isca é posta em seu raio de ação, quase sempre é prontamente atacada.

O equipamento mais indicado é do tipo médio/pesado ou pesado. Varas de comprimento variados de 6 a 7 pés, para linhas de 15 a 30 libras (0,35 a 0,50mm). Molinetes e carretilhas que comportem até 100 metros da linha escolhida. Anzóis de n° 6/0 a 8/0, encastoados com arame ou empates de aço.

Na pesca de Fly, recomenda-se o uso de varas de 8 a 10, com linhas floating. Iscas como hairbugs, poppers, divers e streamers são as mais eficientes. O uso de um pequeno empate é recomendado sempre.
Iscas naturais, como pedaços de peixes (cachorra, matrinxã, curimbatá etc.) ou inteiras, vivas ou mortas, como lambaris e pequenos peixes da região.

As iscas artificiais também são muito utilizadas, principalmente os plugs de superfície e meia água, como jumping baits, hélices e poppers que são bastante provocativas. Buzzbaits e spinnerbaits também são prontamente atacadas, mas logo depois ficam praticamente descartáveis.

Muito cuidado ao retirar o anzol da boca do trairão porque a mordida é forte e os dentes afiados.

Ir para a página Peixes.